Blogue

Receita de Peito de Pato

 Cabriz Cabriz   No Comments

Mai29
Search O melhor é conhecer, por dentro, o seu vinho preferido. Saber por onde ele anda e com quem. Ver os copos onde se entorna e as mãos que o transportam. Voar com ele e trazê-lo para casa, a cada regresso. Descobrir os segredos das vinhas e das vindimas e acompanhar as viagens que o melhor Dão do mundo faz, à volta da Terra, para levar mais longe o nome dos vinhos portugueses. O melhor?

Receita-Peito-de-Pato

O que posso ou não fazer em desconfinamento

 Cabriz Cabriz   No Comments

Mai21
Search O melhor é conhecer, por dentro, o seu vinho preferido. Saber por onde ele anda e com quem. Ver os copos onde se entorna e as mãos que o transportam. Voar com ele e trazê-lo para casa, a cada regresso. Descobrir os segredos das vinhas e das vindimas e acompanhar as viagens que o melhor Dão do mundo faz, à volta da Terra, para levar mais longe o nome dos vinhos portugueses. O melhor?

Desconfinamento

Viajar pelo mundo em tempo de Coronavírus

 Cabriz Cabriz   No Comments

Mai07
Search O melhor é conhecer, por dentro, o seu vinho preferido. Saber por onde ele anda e com quem. Ver os copos onde se entorna e as mãos que o transportam. Voar com ele e trazê-lo para casa, a cada regresso. Descobrir os segredos das vinhas e das vindimas e acompanhar as viagens que o melhor Dão do mundo faz, à volta da Terra, para levar mais longe o nome dos vinhos portugueses. O melhor?

Viajar em tempo de covid

Receita de Atum à Brás

 Cabriz Cabriz   No Comments

Abr29
Search O melhor é conhecer, por dentro, o seu vinho preferido. Saber por onde ele anda e com quem. Ver os copos onde se entorna e as mãos que o transportam. Voar com ele e trazê-lo para casa, a cada regresso. Descobrir os segredos das vinhas e das vindimas e acompanhar as viagens que o melhor Dão do mundo faz, à volta da Terra, para levar mais longe o nome dos vinhos portugueses. O melhor?

Atum à Brás

Como não ficar à beira de um ataque de nervos em teletrabalho?

 Cabriz Cabriz   No Comments

Abr17
Search O melhor é conhecer, por dentro, o seu vinho preferido. Saber por onde ele anda e com quem. Ver os copos onde se entorna e as mãos que o transportam. Voar com ele e trazê-lo para casa, a cada regresso. Descobrir os segredos das vinhas e das vindimas e acompanhar as viagens que o melhor Dão do mundo faz, à volta da Terra, para levar mais longe o nome dos vinhos portugueses. O melhor?

Teletrabalho

Receita de Peito de Pato grelhado, migas de espinafres e mostarda by Cabriz

Ingredientes:

1 peito de pato

2 dentes de alho

500grs espinafres

100grs mostarda

100ml azeite

(q.b.) broa triturada

(q.b.) leite

(q.b.) sal

(q.b.) pimenta

 

Preparação:

Levar a frigideira a 240ºC

Colocar o peito de pato com a pele virada para baixo

Virar o peito de pato

Retirar as pontas do peito de pato

Juntar num recipiente, a mostarda, a pimenta, o sal e o leite e envolver bem

Reservar a mistura da mostarda

Na frigideira juntar o azeite, os alhos e os espinafres

Saltear durante uns minutos

Juntar a broa triturada

Juntar pimenta

Servir as migas juntamente com o peito de pato e a mistura da mostarda

 

Uma receita deliciosa que combina com Cabriz Touriga Nacional Tinto


O que posso ou não fazer em desconfinamento

O que podemos ou não fazer nesta segunda fase do desconfinamento? Desde ir à praia, a restaurantes, lojas, escolas, muitas são as novidades a saber.

Susana Pinheiro

Muita coisa está a mudar depois do estado de emergência que quase parou a economia do país. Entrámos na segunda fase do desconfinamento com regras um pouco menos apertadas do que até agora. Com uso obrigatório de máscara nos transportes públicos, lojas, restaurantes e escolas. As normas gerais de distanciamento social, e de higienização e etiqueta respiratória são para cumprir. Mas já é possível ir banhos na praia.

O Governo publicou, a 17 de maio, o documento que regulamenta as normas da nova fase de desconfinamento, prorrogando a situação de calamidade até ao final deste mês de maio para conter a pandemia de Covid-19.

“O Governo opta por um elenco menos intenso de restrições, suspensões e encerramentos do que aquele que se encontrava vigente, sem prejuízo da gradualidade do levantamento das restrições e da necessidade de se manter o escrupuloso cumprimento, pela população portuguesa, das medidas de distanciamento físico indispensáveis à contenção da infeção”, lê-se no documento do Conselho de Ministros que regulamenta as normas da nova fase de desconfinamento.

Mais: “A população deve procurar cumprir um dever cívico de recolhimento domiciliário, dando primazia às atividades, decisões e deslocações que não impliquem um contacto social alargado”.
Saiba, então, o que é possível fazer nesta altura.

Posso ir a restaurantes, cafés e pastelarias?

Sim. Com máscara e antes das 23 horas. Os espaços devem disponibilizar gel desinfetante à entrada para os clientes.
À excepção de pessoas que morem na mesma casa, todas as outras devem manter uma distância de segurança de dois metros nos espaços que devem ter lotação limitada a 50% da capacidade máxima e plano de contingência. De preferência, devemos recorrer ao pagamento electrónico em detrimento de dinheiro para evitar o contágio.

Como faço se quiser ir a um loja de rua?

Deve usar máscara. Depois das lojas de rua até 200 metros quadrados, cabeleireiros, barbeiros, bibliotecas, livrarias, chegou agora a vez dos espaços comerciais a retalho e de prestação de serviços que tenham porta aberta para a rua até 400 metros quadrados. Feiras e mercados estão incluídos, mas com plano de contingência. As lojas em centros comerciais só reabrem a 1 de junho.

Posso ficar descansado se o meu filho for às aulas ou à creche?

As autoridades garantem que sim, desde que os espaços providenciem todas as medidas de segurança para evitar a propagação da pandemia. Algumas dessas estratégias contemplam, por exemplo no caso dos alunos dos 11.º e 12.º anos, a distribuição de turmas por turnos, em espaços amplos, e um estudante por secretária. Os alunos têm aulas presenciais, sem intervalos fora das salas, e de máscara ou viseira.
Também nas creches deve haver distanciamento social e serem cumpridas regras de higiene. Um menor número de crianças por sala e o calçado ficar à porta são mais algumas das medidas a ter em conta.

Posso visitar os meus familiares em lares de idosos?

Sim, desde que com autorização e cumprimento das regras estipuladas: um visitante por utente, mas com marcação prévia e no máximo durante uma hora e meia. Além de “manter o cumprimento de todas as medidas de distanciamento físico, etiqueta respiratória e higienização das mãos.
Também pode visitar pessoas em unidades de cuidados continuados integrados.

E ir banhos nas praias?

Até então, o acesso à água era apenas possível para praticantes de desportos náuticos. Mas agora já se pode ir a banhos. De acordo com o documento governamental, são permitidas “deslocações para efeitos de fruição de momentos ao ar livre, designadamente em parques, nas marginais, em calçadões, nas praias, mesmo que para banhos, ou similares”.
Mas a 6 de Junho as regras serão mais apertadas com uma aplicação para telemóvel com sinalética tipo semáforo que indica se a praia tem lotação esgotada (vermelho), quase cheia (amarelo) ou está disponível (verde).

Posso acampar?

Sim. Os parques de campismo e caravanismo e áreas de serviço de autocaravanas estão autorizados a reabrir, com uma lotação máxima de dois terços da capacidade.

Posso visitar museus, monumentos e palácios?

Sim, desde que use máscara, cumpra uma distância mínima de dois metros, higienização das mãos e dos espaços.


Viajar pelo mundo em tempo de Coronavírus

Explorar o mundo a partir de casa, à distância de um clique, é a nossa sugestão para estes dias de isolamento social por causa da Covid-19. Venha daí! Viaje connosco.

Susana Pinheiro

Em tempo de coronavírus pode correr mundo, durante um par de horas, sem bilhete ou viagem marcada a partir do conforto da sua casa e à distância de um clique de Taj Mahal, na Índia, ou da Grande Muralha, na China. Não será, por certo, a mesma coisa. Mas, tendo em conta o risco de propagação da Covid-19, cada vez mais estas viagens virtuais surgem como uma possibilidade a experimentar.

De fora fica a rotina de fazer a mala, a correria louca para apanhar o voo a horas, as intermináveis filas no balcão do check-in ao embarque e desembarque no aeroporto. Até é bem capaz de ter saudades de todo esse frenesim. Mas, enquanto não pode regressar às viagens de sonho, algumas delas programadas com meses de antecedência e que agora não pode concretizar, venha daí explorar o mundo connosco.

De pijama e pantufas, se preferir. Só precisa mesmo do computador, tablet ou telemóvel com Internet e dar asas à imaginação para ter o mundo aos seus pés. Pode sempre sonhar acompanhado de um copo de vinho na mão.

Comecemos pela Grande Muralha da China, uma das atrações mais carismáticas do mundo, com uma paisagem de cortar a respiração no site thechinaguide.com . Agora que se imaginou por lá, por que não dar um salto até ao monumento Taj Mahal, mandado construir, no século XVII, pelo imperador Shah Jahan, em homenagem à sua mulher favorita, Aryumand Banu? Viaje e mergulha na história através do site taj-mahal.net .

Se estava nos seus planos visitar, para breve, a acrópole de Atenas, e sabe que não será desta vez, nem tudo está perdido. Experimente, por exemplo, a visita virtual ao Partenon em yougoculture.com .

Também se pode deixar guiar pelas visitas que o Google Arts & Culture lançou para cinco parques nacionais dos EUA: Kenai Fjords, Alasca; Bryce Canyon, Utah; Parque Nacional Carlsbaad Caves, Novo México; Parque Nacional Dry Tortugas, Florida; e Hawai’l Volcanoes, Havaí. Com uma boa dose de imaginação, pode ficar a sonhar com aquelas magníficas paisagens.

Ainda lhe sobra tempo para voar até ao Museu do Vaticano em museivaticani.va . Ou ao Museu do Louvre em louvre.fr .

Deixe-se ir e aproveite depois para começar a planear, com tempo, a próxima viagem.


Receita de Atum à Brás by Cabriz

 

Ingredientes:

4 latas de atum

2 cebolas pequenas

3 dentes de alho

1 ramo de salsa

2 folhas de louro

6 ovos

500grs batata-palha

(q.b.) sal

(q.b.) pimenta

(q.b.) azeitonas trituradas

 

Preparação:

Preparar duas folhas de louro

Cortar a cebola em meias-luas e picar o alho

Refogar

Acrescentar o atum

Juntar a salsa picada

Adicionar a batata-palha

Envolver bem e juntar os ovos

Temperar com sal e pimenta a gosto

Concluir com as azeitonas trituradas

 

Uma receita deliciosa que combina com Cabriz Colheita Selecionada Tinto


Como não ficar à beira de um ataque de nervos em teletrabalho?

No portátil, no computador ou no telemóvel. Os pais em teletrabalho, os filhos em telescola. É este o cenário em grande parte das casas portuguesas para prevenir a propagação da Covid-19. Como nos organizarmos para não ficarmos à beira de um ataque de nervos? Deixamos alguns conselhos.

Susana Pinheiro

Trabalhar a partir de casa é um grande desafio para qualquer pessoa, por muito organizada e auto-disciplinada que seja. Exige uma grande capacidade de gestão de tempo, organização e produtividade. Além de conseguir assimilar que, depois de terminar o horário laboral, já não sai do local de trabalho, porque, afinal, já está em casa e em casa continua por causa da Covid-19. Pode, então, gerar-se um estado de ansiedade e de stress que não são bons amigos neste cenário de pandemia que exige mente sã e bom senso.

Mas o que é afinal o teletrabalho? De acordo com o artigo 165º do Código do Trabalho, teletrabalho é a prestação laboral realizada com subordinação jurídica, normalmente fora da empresa e através do recurso a tecnologias de informação e de comunicação.

Em tempo de teletrabalho, como fazer render melhor o tempo e não ficar à beira de um ataque de nervos? No livro Stop: 50 Estratégias para Pessoas sem Tempo, a autora Ana Tapia aconselha a fazer tarefas semelhantes para ganhar tempo e eficácia, mas também a fazer paragens, stop, a não trabalhar muitas horas seguidas, a levantar-se e andar um bocado. Também sugere a fazer um plano e ter uma agenda, e, muito importante, aprender a valorizar-se.

Portanto, nada de saltar da cama para a frente do computador e ficar a trabalhar de pijama. O ideal é criar rotinas, habituar o corpo e mente a ter horários parecidos com os que já tinha antes desta situação de pandemia. Pode não ser fácil, é certo, e o tempo não render ou não conseguir ser tão produtivo como antes entre a azáfama de responder a um e-mail do trabalho e a um pedido do filho que precisa de uma resposta a uma dúvida na matéria nova que o professor lhe enviou por email ou pela escola virtual.

Tal como estar de pijama não é boa ideia, também trabalhar na cama pode não ser. Vai acabar por ficar com mais preguiça. Experiente criar um espaço confortável, organizado e com luz natural para trabalhar com tudo o que necessita para não se estar sempre a levantar da cadeira. Com concentração, método de trabalho e imposição de limites vai ver que consegue ter mais produtividade. Faça na mesma pausas ao longo do trabalho, para esticar as pernas e os braços. Pode aproveitar para corrigir a postura e fazer alguns alongamentos.

Se tem filhos pequenos, também pode aproveitar para fazer algumas pausas quando eles lhe pedem para petiscar ou lanchar. Planeie com antecedência os almoços, mas saudáveis, para não perder muito tempo na cozinha à hora do almoço, porque tem de continuar a trabalhar, mesmo estando em casa. Nesse caso, é preciso ajustar horários em família.

E, muito importante, não se distraia com aquela louça que ficou por lavar ou a roupa por lavar ou dobrar. Pode pensar que isto de tarefas domésticas é só um bocadinho apenas, mas, quando der conta, já passou mais tempo do que deveria e já interferiu com o seu trabalho e produtividade. Deixe para depois os telefonemas para amigos e familiares, que também podem ser uma distração.